Como gerar renda extra mesmo com o desemprego em alta no país?

Gerar renda extra
Como gerar renda extra mesmo com o desemprego em alta no país?
Esse texto te ajudou?

Introdução – Como o desemprego pode ser vencido sem precisar assinar sua carteira

O número de desemprego no Brasil já passa de 14 milhões, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com a desaceleração da economia, esse número deve crescer ainda mais até o final de 2017.

O número de vagas com carteira assinada diminuiu muito no último ano. Os setores que mais sofreram foram a indústria, construção civil, comércio a varejo e comércio de veículos automotores, que foram obrigados a dispensar milhares de empregados.

Muitos brasileiros estão sofrendo com a falta de ocupação e renda. Pais e mães de família que perderam seus empregos estão passando dificuldades para manter suas casas.

Alguns encontraram no trabalho autônomo a saída para esse problema, por isso a taxa de ocupação informal deu um salto nas pesquisas realizadas nos últimos meses. Atividades que podem ser desempenhadas com pouco investimento são as mais escolhidas por está desempregado e precisa ganhar dinheiro.

E não são poucas as opções disponíveis no mercado. Hoje, é possível ganhar dinheiro de muitas formas, trabalhando de forma honesta e até mesmo no conforto de casa. Os desafios podem ser grandes, já que é necessário uma dose extra de esforço e paciência para se começar um pequeno negócio. Mas pode ser compensador, além de proporcionar a oportunidade de vencer o mês com as contas em dia.

Se você é um entre esses milhares de brasileiros que perderam o emprego com carteira assinada e precisam voltar a ganhar dinheiro, ter renda e sustentar sua casa, veja conosco as principais causas do desemprego no país, as consequências das altas taxas de desemprego, como isso impacta na economia mundial, como as pessoas estão fazendo para lidar com o desemprego e muitas outras dicas.

Vamos lá?

As principais causas do desemprego no Brasil

Não existe um único fator responsável por gerar tantos desempregados no Brasil, mas uma sim muitas complicações que quando somadas acabaram por agravar o problema. Vamos conhecer algumas delas?

Crise econômica:

Passamos por uma grave crise econômica no último ano. Nossa economia ficou desacelerada, as empresas começaram a faturar menos, a inflação voltou a subir… Tudo isso fez com que o consumo de bens e serviços diminuísse. Muitas empresas começaram a demitir funcionários, gerando desemprego, e isso fez com que as pessoas ligassem o sinal de alerta. Elas colocaram o pé no freio, começaram a economizar e gastar apenas com os itens de muita importância, como os de orçamento doméstico.

Carga tributária:

Não é barato manter um empregado no Brasil. Os impostos e encargos deixam os empresários de cabeça em pé. Os custos para se contratar um empregado de carteira assinada são muito elevados, chegando a se comparar com o valor do salário do funcionário. Por isso, algumas empresas preferem manter o quadro de empregados pequeno e contar com a hora extra dos contratados, do que contratar mais mão de obra. Isso também contribui para o desemprego no Brasil.

Mecanização nas fábricas e indústrias:

Esse é um quadro que começou a ser desenhar muitos anos atrás – até mesmo décadas. Com o avanço tecnológico e o desenvolvimento de máquinas que substituíram a mão de obra humana, as empresas começaram a fechar vagas de emprego, gerando desemprego. Isso aconteceu muito em fábricas, grandes indústrias e até mesmo em bancos. Pense bem em como o quadro de funcionários dos bancos foi reduzido depois que começamos a usar os caixas eletrônicos e o internet banking!

Falta de qualificação:

Esse tópico está interligado ao penúltimo, porque se as empresas investiram em tecnologia e evoluíram seus processos de trabalho, alguns trabalhadores pararam no tempo e não buscaram a qualificação necessária para evoluir junto. Muitas vezes as empresas disponibilizam vagas de emprego e não conseguem preencher, ou demoram a conseguir contratar a pessoa apropriada por falta de candidatos qualificados.

Desemprego e suas principais causas
A falta de qualificação profissional é uma das principais causas do desemprego

Taxas de desemprego atuais

No primeiro trimestre de 2017 a taxa de desemprego no Brasil ficou em 13,6%, em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do IBGE, há no Brasil atualmente mais de 14 milhões de pessoas desempregadas.

Até janeiro de 2017, a população sem emprego beirava a faixa de 12,9 milhões de pessoas, mas cresceu 8,7% até abril. No geral, esse aumento representa uma taxa de 23,1% a mais de pessoas desempregadas em relação ao mesmo período de 2016.

Os dados do IBGE também revelam um recuo no número de registros em carteira no trimestre que se encerrou em fevereiro deste ano. A pesquisa apontou que existem 33,7 milhões de pessoas registradas no país, ou seja, 337 mil registros a menos que o penúltimo trimestre encerrado, em novembro de 2016. Se formos comparar os dados anuais, a diferença é bem maior chegando a 1,1 milhão.

Já o número de trabalhadores por conta própria ficou na casa dos 22,2 milhões.

Consequências da taxa de desemprego atual

As consequências do desemprego no Brasil são desastrosas. Um país com uma taxa tão alta de desempregados sofre em muitos aspectos para manter sua receita em dia, já que há menos dinheiro em circulação.

Por outro lado, um trabalhador que perdeu seu emprego sofre com a falta de perspectiva e esperança de voltar ao mercado, além de ter que lidar com a pressão pela busca por trabalho e renda.

Mas as consequências não param por aí. Listamos algumas mais importantes para que você entenda a dimensão do problema.

Acompanhe conosco!

Brasil tem uma das maiores taxas de desemprego
Taxa de desemprego no Brasil é uma das maiores do mundo

Para o país

Muitas são as consequências negativas do desemprego para o país. As mais diretas são economia instável, inadimplência, aumento da pobreza, aumento da desigualdade social, redução no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), retração de investimentos e consumo, diminuição do Produto Interno Bruto (PIB), baixa arrecadação de impostos pelo governo – o que gera falta de receita e incapacidade governamental de cumprir com seus gastos -, baixa escolaridade; trabalho infantil, movimentos de desempregados contra o governo e outros.

Já como consequências indiretas do alto índice de desemprego no país podemos citar o aumento na violência, da corrupção e outras.

Para o trabalhador

Já para o trabalhador, que sofre com o desemprego, sem renda e muitas vezes sem perspectivas, as consequências podem ser ainda piores. Além de tudo o que citamos acima, ainda tem o fator psicológico, que acaba interferindo na saúde da pessoa que está sem ocupação.

Entre as consequências psicológicas e sociais do desemprego podemos citar: depressão, insônia, irritação constante, transtornos mentais leves, sentimento de frustração e insatisfação, dificuldades cognitivas e diminuição da autoestima.

O desemprego ainda provoca mau estar psicológico, desagregação social e deterioração do bem-estar físico, bem como à desagregação social:

Indiretamente, o desemprego contribui também para o aumento de casos de violência doméstica, e ainda no contexto familiar, causa desestruturação e desorganização – sendo as crianças as principais vítimas da situação.

De acordo com um estudo da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), lançado em 2013, 10,2 % das pessoas que estavam desempregadas sofriam com algum tipo de depressão. A pesquisa revelou ainda uma alarmante ligação entre o desemprego e o alcoolismo ao mostrar que o consumo de álcool entre desempregados chega a 20,5% (18 milhões), enquanto entre os empregados fica em 17,6% (15,8 milhões).

Os impactos sociais causados pelo desemprego são isolamento, sentimento de culpa e vergonha entre amigos ou família.

Desemprego traz grandes consequências
O desemprego traz inúmeras consequências para o país e para o trabalhador

 

O desemprego no mundo

O Brasil ocupa o 7º lugar no ranking global do desemprego em termos percentuais, segundo a agência de classificação de risco brasileira Austin Rating. Só perdemos para a África do Sul (26,6%), Espanha (19,9%), Montenegro (17,3%), Jordânia (14,7%), Croácia (13,3%) e Chipre (11,7%).

Países com a Itália e Espanha também apresentam altos índices de desemprego devido as consequências da crise financeira de 2008 e 2009. Eles passam por um processo lento de recuperação.

Dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT) demonstram que os jovens são os que mais sofrem com o desemprego em todo o mundo. Segundo a entidade, a taxa de desemprego mundial continuará subindo. Estima-se que este ano haverá aumento de 3,4 milhões de pessoas desempregadas, podendo atingir no total a casa dos 200 milhões.

Isso deverá acontecer, de acordo com a OIT devido ao ritmo de aumento da força de trabalho supera o da criação de empregos.

Confira o ranking global de desemprego

1º    África do Sul: 26,6%;

2º    Espanha: 19,9%

3º    Montenegro: 17,3%

4º    Jordânia: 14,7%

5º    Croácia: 13,3%

6º    Chipre: 11,7%

7º    Brasil: 11,6%

7º    Itália: 11,6%

8º    Eslovênia: 10,8%

9º  Ucrânia: 10,3%

10º  França: 9,9%

11º  Eslováquia: 9,4%

12º  Colômbia: 8,9%

13º  Polônia: 8,6%

14º  Marrocos: 8,6%

15º  Bélgica: 8,5%

16º  Irlanda: 8,3%

17º  Bulgária: 8,2%

18º  Áustria: 8,0%

19º  Finlândia: 7,8%

20º  Lituânia: 7,8%

21º  Peru: 7,1%

22º  Canadá: 6,9%

23º  Chile: 6,9%

24º  Luxemburgo: 6,4%

25º  Romênia: 6,4%

26º  Suécia: 6,3%

27º  Alemanha: 6,1%

28º  Filipinas: 6,1%

29º  Holanda: 6,0%

30º  Austrália: 5,7%

31º  República Tcheca: 5,4%

32º  Rússia: 5,3%

33º  Hungria: 5,1%

34º  Estados Unidos: 4,9%

35º  Noruega: 4,8%

36º  Israel: 4,7%

37º  Dinamarca: 4,2%

38º  China: 4,0%

39º  Taiwan: 4,0%

40º  México: 4,0%

41º  Coréia do Sul: 3,5%

42º  Hong Kong: 3,4%

43º  Malásia: 3,4%

44º  Suíça: 3,1%

45º  Japão: 3,1%

46º  Islândia: 2,9%

47º  Quirguistão: 2,3%

48º  Cingapura: 2,1%

49º  Macau: 1,9%

50º  Tailândia: 1,0%

Fonte: Austin Rating – jul/2016

O que as pessoas estão fazendo para lidar com o desemprego?

O povo brasileiro a característica de perseverar nativa. São pessoas criativas e que sempre buscam alternativas para suas dificuldades. No caso da falta de emprego e renda, é preciso ter paciência e clareza de ideias para lidar com a situação. Dessa forma fica mais fácil encontrar uma forma de vencer a adversidade.

Reunimos a seguir algumas dicas do que é possível fazer para lidar com o desemprego. Confira:

O que as pessoas estão fazendo para lidar com o desemprego

Lidar com o desemprego não é tarefa fácil. Essa condição pode trazer consequências psicológicas e sociais para um trabalhador em idade ativa. Para tentar minimizar os impactos do desemprego, grande parte das pessoas acaba buscando uma atividade secundária para realizar durante o tempo em que não estão empregadas com a carteira assinada.

Com o aumento do desemprego, e o fechamento de 1,3 milhão de vagas de trabalho com carteira assinada, o número de pessoas trabalhando informalmente cresceu muito no último ano. As pessoas descobriram que mesmo estando desempregadas elas podem ter uma atividade para gerar renda.

Isso inclui as vendas pela internet, os bicos em prestação de serviços, revenda de produtos; venda de bolos e doces, atividades de consultoria e muitas outras.

Como Um Desempregado Pode Lidar Com a Situação

Como falamos antes, existem muitas forma de lidar com o desemprego e tentar mudar esse cenário desfavorável. São muitas as possibilidades e estratégias de passar por esse momento com calma, sem desespero e depressão. Basta manter o equilíbrio e a calma, para entender em que é preciso investir, quais melhores caminhos seguir, traçar objetivos e outros.

Esse também é momento de colocar suas metas em dia, de ponderar o rumo que sua vida profissional tomou – e se isso está te deixando satisfeito – e definir o que você deseja para o futuro. Veja algumas dicas que separamos para que você passe por esse momento e saia dele completamente renovado.

Qualificação

Se você ficou muito tempo em uma empresa, não estudou ou passou por algum tipo de reciclagem durante o tempo em que esteve por lá, provavelmente terá que voltar para a sala de aula.

Depois de certo tempo nosso conhecimento fica ultrapassado, principalmente se você desempenha funções dinâmicas em profissões que mudam muito, como as áreas de comunicação e tecnologia. A perda do emprego pode impulsionar sua vontade de renovar seu conhecimento, desenvolver novas habilidades e até, quem sabe, dar uma virada na sua vida profissional.

Hoje é possível encontrar uma oferta grande de cursos e treinamentos que podem ser feitos de forma gratuita e online. É uma alternativa para quem não pode pagar cursos caros de qualificação. Instituições renomadas como a Coursera e a Universia oferecem cursos completamente gratuitos.

Tente fazer um treinamento vocacional também para descobrir seu perfil profissional. Isso pode te ajudar a se recolocar no mercado de trabalho.

Trabalhos temporários

Se candidate para realizar trabalhos temporários. Algumas agências são especializadas neste tipo de negócio e podem oferecer uma ótima oportunidade de ganhar dinheiro em um curto intervalo de tempo. A vantagem é que você acaba experimentando atividades diferentes das que está acostumado a fazer e talvez até se torne um emprego permanente.

Corte gastos imediatamente. Opções podem incluir cancelar TV à cabo, telefone e celular.

Exercite-se!

Aproveite o tempo livre para se exercitar! Atividades físicas são ótimas para promover o relaxamento e melhorar a qualidade do sono. Além disso, ela te deixará mais motivado, disposto e com melhor equilíbrio emocional.

Tenha disciplina

Estar sem trabalho em casa não significa que você terá que abandonar seus projetos de vida e se jogar no sofá. É preciso ter perseverança e se planejar para mudar esse cenário. Por isso, você deve ter disciplina e manter a sua rotina similar à quando estava empregado.

Acorde cedo, tome seu café da manhã, almoço e banho nos horários em que era acostumado. Se não tiver disciplina vai acabar ficando desleixado e falta de organização poderá minar suas energias.

Seja otimista

Você pode estar cético neste momento da sua vida, mas acredite: o universo conspira a seu favor ou contra! Depende do que você envia pra ele. O que queremos dizer é que quanto mais energia negativa você acumular na sua vida, mais energia negativa você atrairá.

Por isso, tenha uma atitude otimista e busque acreditar que as coisas vão melhorar. Não fique vidrado em notícias ruins, ou nos comentários dos “amigos” que dizem que a situação do país não vai melhorar. Acredite no seu potencial, busque aperfeiçoamento e acredite que sua oportunidade chegará.

Encontre uma referência

Pense em mentores, pessoas que você admira – seja na vida profissional ou pessoal. Foque em como essas pessoas conseguem ou conseguiram passar pelas adversidades da vida, com energia e desenvoltura. Espelhe-se nelas para encontrar equilíbrio, harmonia e paciência

Economize

Fuja dos gastos desnecessários neste período! Procure gastar apenas o mínimo possível e se preparar para o futuro, caso demore algum tempo para se empregar novamente. Em alguns casos você poderá contar com auxílio do governo, como o seguro-desemprego, mas ele pode demorar a ser pago. Por isso, avalie cada gasto e não abra mão de um bom planejamento financeiro.

Fuja de gastos desnecessários
Para driblar o desemprego. fuja de gastos desnecessários

Outra dica é dividir o apartamento com um amigo (a), se tiver espaço disponível em casa. Assim, você divide despesas como aluguel e as contas da casa com alguém, deixando seus gastos mais leves.

Considere também abrir mão das coisas que você não usa mais, como roupas, calçados e acessórios. Monte um bazar com seus amigos e família. Desta forma você desencalha seu guarda-roupas e ainda arruma uma grana extra.

Considere a possibilidade de fazer outra coisa

Sabemos que você provavelmente estudou, se especializou e se preparou para desenvolver a função em que atua atualmente, mas antes de se sentir chateado ou deprimido por não conseguir emprego, pesquise seu mercado.

Descubra como andam as contratações na sua área, se há vagas em aberto e etc. Talvez o momento esteja ruim na sua área e será ainda mais difícil arrumar trabalho. Neste momento considere fazer outra coisa.

Pesquise na internet algumas atividades que você pode realizar com pouco ou quase nenhum investimento. Em alguns casos, pessoas que passaram por essa experiência se redescobriram fazendo coisas que nunca imaginaram fazer. Pense nisso!

Faça um trabalho voluntário

Que tal realizar aquele trabalho voluntário que você sempre quis fazer e não teve oportunidade? Apesar de não ser uma coisa boa, o desemprego libera tempo para que você realize coisas que sempre quis e nunca pode, mesmo que por um curto intervalo de tempo.

O trabalho voluntário pode enriquecer suas experiências, seu currículo e aumentar suas habilidades. Além de oferecer valiosas oportunidades para criar conexões com outras pessoas que podem vir a lhe ajudar no futuro.

Movimente seus relacionamentos

Não se descuide do networking! Mantenha relacionamentos amigos, antigos clientes, ex-colegas de trabalho. Vá a eventos, reuniões e agende encontros com antigos conhecidos. Quanto mais pessoas que conhecem suas habilidades souberem que você busca por oportunidades, maiores serão as chances de se lembrarem de você quando uma oportunidade aparecer.

Faça networking
Esteja sempre conectado a outras pessoas do mesmo ramo que você

Invista em um negócio próprio

Existe uma série de coisas que você pode começar a realizar para ganhar dinheiro. talvez, essa seja a oportunidade que faltava para que você invista em algo próprio. As oportunidades são muitas e na maioria das vezes, esse tipo de pequeno negócio não requer um nível alto de investimento financeiro. Você pode começar com pouco dinheiro e ir crescendo aos poucos.

Fique calmo

De nada vai adiantar se desesperar! A ansiedade pode prejudicar sua percepção das coisas e até mesmo te prejudicar em um processo seletivo, se for o caso. Sabemos que não é fácil lidar com o desemprego, mas tente buscar o equilíbrio entre a tranquilidade e a ansiedade.  Seu equilíbrio emocional é muito importante neste momento e mantê-lo pode aumentar suas de conseguir um novo emprego.

Como se preparar para um cenário de desemprego no país

Se preparar para um cenário de desemprego não é simples. Requer firmeza e sabedoria. Mas é necessário diante das incertezas que estamos vivendo. A economia vai mal, alguns setores estão pagando a conta por isso e acabam demitindo mais trabalhadores a cada mês.

Como em qualquer preparação, a gente não deve deixar para se preparar quando o fato já está acontecendo. Por isso, esteja atento para as possibilidades e tenha um plano de ação, se precisar lidar com essa situação. As dicas mais valiosas são:

  • Mesmo estando empregado e de carteira assinada, desenvolva uma postura empreendedora. Nunca se sabe quando vai precisar assumir as rédeas da situação;
  • Mantenha um bom networking: não se descuide de seus relacionamentos. Suas conexões serão muito úteis se você precisar se realocar no mercado de trabalho;
  • Tenha suas finanças sob controle: crie uma reserva financeira para momentos de adversidade, como o desemprego. Nunca se sabe quanto tempo levará para que você se empregue novamente. Pode ser imediatamente ou pode demorar um ano. De toda forma, com uma reserva financeira você conseguirá se manter até que comece a gerar renda novamente;
  • Não faça dívidas: evite fazer dívidas grandes e com altos juros. Isso poderá comprometer sua renda caso venha a ficar desempregado, o que complica ainda mais um cenário que já é difícil.

Assista: Cérebro sem Limites Como desenvolver um cérebro empreendedor Lançamento Dr Jô Furlan

Conclusão – Aprenda a driblar o desemprego gerando renda extra

A taxa de desemprego no Brasil está muito alta. No restante do mundo não é diferente. Países da Europa, como a Itália também sofrem com o problema. A economia brasileira está andando a passos lentos o que faz com que o cenário seja ainda mais desafiador. Isso pode demorar a mudar.

Especialistas dizem que as perspectivas para o mercado de trabalho em 2017 não são boas e que o país ainda vai demorar para se recuperar e voltar ao ponto em que estava. A crise ainda é uma realidade e seus efeitos não vão passar tão rápido.

Por isso, você que está desempregado ou precisa aumentar sua renda, deve tentar trilhar caminhos alternativos para driblar o desemprego. Caso contrário, poderá ficar preso nessa situação por muito tempo ainda.

Uma das alternativas para driblar o desemprego é buscar outras fontes de renda que não sejam por meio de trabalho com carteira assinada. Como já comentamos acima, muitos brasileiros estão realizando atividades que nunca imaginavam realizar e conseguindo renda para viver com elas.

Oportunidades não faltam. Basta pesquisar um pouco e você encontrará uma série de atividades que pode desenvolver fazendo pouco ou quase nenhum investimento financeiro.

Agora, acompanhe conosco algumas dicas de como fazer isso:

Ganhe dinheiro trabalhando pela internet

Seja para quem está desempregado ou para quem procura por renda extra, a internet está está cheia de possibilidades para se gerar renda. Um ambiente rico, cheio de alternativas e oportunidades, mas é preciso conhecer todas elas, para que você saiba como e onde investir.

Além disso, trabalhar pela internet é uma ótima chance de realizar o sonho de trabalhar em home office, diminuir seu nível de estresse, fugir do trânsito e ainda passar mais tempo perto da sua família.

Alternativas de trabalho extra
Ter alternativas para ganhar dinheiro diante do desemprego é uma boa saída

Uma pesquisa, realizada pela ConnectSolutions, também revelou que quem trabalha produz até 30% a mais do que quem precisa se deslocar para um escritório diariamente. Portanto, apesar das dificuldades, sua casa ainda é melhor lugar para trabalhar.

Para desempenhar a maioria das funções pela internet você precisará de pouco investimento, como um bom computador, uma mesa e cadeira confortável, um ambiente tranquilo e uma boa rede de banda larga – coisas que praticamente já temos em casa nos dias de hoje.

Algumas opções de trabalho pela internet:

  • programa de afiliados
  • trabalho freelancer
  • loja virtual (E-commerce)
  • redes sociais
  • consultorias
  • traduções

E muitos outros!

  • Leia também: 

Guia completo para ganhar dinheiro com blog em 2017

Guia Completo do Freelancer – Trabalhe de casa!

 

Ganhe dinheiro trabalhando em casa
A Internet é uma boa opção para quem quer ganhar dinheiro trabalhando em casa

 

Revenda produtos

Outra opção para gerar renda é a revenda de produtos. Existe uma grande variedade de produtos no mercado, por isso essa se tornou uma ótima opção, seja para quem está desempregado ou deseja um complemento de renda.

Esse também é um trabalho flexível. Trabalhando com produtos para revenda você pode fazer seu próprio horário, criar seu perfil de negócios e até mesmo usar a internet para potencializar seus resultados.

As oportunidades para quem deseja se tornar um revendedor são inúmeras, como produtos direto de fábrica, produtos por consignação, produtos importados, ou produtos de catálogo. Entre as opções, sapatos, roupas, cosméticos, acessórios, produtos para casa e muitos outros.

  • Leia também:

Franquias home office para você aumentar a sua renda

Cinco opções de negócios para abrir em casa

Outras formas de ganhar dinheiro e driblar o desemprego

Já citamos muitas opções para quem está desempregado, ou deseja uma renda extra. Mas não acabou! Existem ainda várias outras alternativas para se ganhar dinheiro, até mesmo trabalhando em casa! Venha conosco que vamos te mostrar!

Venda artesanato

Talvez você leve muito jeito para artes manuais, mas nunca pensou em começar a produzir produtos com valor comercial. Ou talvez seja uma cozinheira de mão cheia! Todos esses dons, com os quais cada um de nós nascemos, são muito úteis em um momento de desemprego, por exemplo.

Você tem a chance de ganhar dinheiro vendendo artesanato (convites, cadernos, vasos, crochê, enfeites para casa, entre outros), ou quem sabe, fazendo bolos, bombons, salgados, saladas de frutas e quitutes para festa.

Cozinhe para driblar o desemprego
Cozinhar é uma boa alternativa para driblar o desemprego

Venda marmitas fitness

Nos últimos meses, percebemos um aumento grande na oferta de marmitas para pessoas que precisam comer fora. Elas podem ser fitness ou não. Há também a opção de porções de frutas, que já são entregues no endereço de pedido na medida ideal para ser consumida durante a semana. Isso é uma tendência de mercado e reflete o novo ritmo de vida das pessoas, que trabalham cada vez mais e não têm muito tempo para se dedicar à cozinha.

Essa é uma alternativa promissora para quem gosta de cozinhar e se dedicar às artes culinárias. É possível ganhar dinheiro aproveitando essa tendência. De acordo com o Sebrae, neste tipo de negócio, o empreendedor não precisa se preocupar em oferecer um ambiente com mesas, cadeiras e garçons. Diferentemente de um restaurante, os clientes adquirem as suas marmitas no estabelecimento e consomem a refeição no local de trabalho, em casa ou em locais públicos.

A área fitness é uma oportunidade de negócio no Brasil. O mercado de alimentação saudável cresceu 98% entre os anos 2009 e 2014. O Brasil já é maior mercado do mundo neste segmento.

Máquina de assar frango

Outra oportunidade é ganhar dinheiro com máquina de assar frango. Essa não é uma empreitada complicada, mas pode ser muito lucrativa. Trata-se de um negócio que exige pouca estrutura e investimento baixo também. Uma máquina de frangos pode ser alocada em um espaço pequeno e não requer grande infraestrutura.

Agora que você já tem alguma noção do que investir, caso entre para as estatísticas e fique desempregado, vamos dar a dica final para que você alcance sucesso: fique de olho aqui no Blog Como Ganhar Dinheiro de Casa. Estou sempre pesquisando temas diferentes para abordar e mostrar oportunidades para aumentar a sua renda.

Tenha um negócio na internet

Agora, se o seu lance é trabalhar com a internet e deseja muito iniciar Um Negócio na Internet, não perca tempo. Acesse meu curso Trabalho Internet e aprenda tudo o que é preciso para ter um negócio lucrativo na internet!

Vamos aprender juntos novas habilidades e focar sua na superação!

Até a próxima!

Leia também:

Trabalhe em casa e aprenda como gerar renda extra com essas 31 ideias

Como Ganhar Dinheiro em Casa: O Guia Definitivo

Como ganhar dinheiro rápido em até 24 horas – 8 maneiras reais

Saia do emprego – Guia de ideias para trabalhar por conta própria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *